Perfil – Patrícia Pillar

Um dos destaques na dramaturgia em 2008, como a Flora de “A Favorita”, Patrícia Pillar estreou nas novelas em 1985, como a Linda Bastos em “Roque Santeiro”. Na trama de Dias Gomes, dava vida à atriz que vivia às turras com o marido hiper-ciumento Tito (interpretado por Luiz Armando Queiroz). No mesmo ano, torna-se apresentadora do “FM TV”. Em 86, vive a Ana do Véu na primeira versão de “Sinhá Moça”.

No ano seguinte, em “Brega & Chique”, sua estreia no horário das 19h, interpreta Ana Cláudia Alvaray, e em 88, a Bianca de “Vida Nova”. Em 1991, após ser a Alaíde de “Rainha da Sucata”, protagoniza sua primeira novela: “Salomé”, vivendo a personagem título. Dois de seus papéis mais marcantes foram na novela “O Rei do Gado” (96), onde deu vida a sem-terra Luana; e na série “Mulher”, de 98, fazendo a Dra.Cris. Cinco anos depois, interpretou a Duda, que procurava pelo filho mais velho em “Um Anjo Caiu do Céu”.

Patrícia Pillar foi vista ainda em “Renascer”, “Pátria Minha”, “Cabocla”, em episódios de “Você Decide” e na minissérie “As Noivas de Copacabana”. E depois em “Passione”, nas séries “Divã” e “As Brasileiras” e no programa “Som Brasil”, que apresentou em 2011. Retorna às novelas, em 2012, em “Lado a Lado”, vivendo a vilã Constância.

 No cinema, conciliou os papéis de atriz e diretora. Na frente das câmeras atuou em ‘Pra viver um grande amor’, ‘Festa’, ‘O quatrilho’, ‘O noviço rebelde’, ‘Zuzu Angel’ e ‘Se eu fosse você’. E dirigiu o documentário ‘Waldick Sempre no meu coração’.

Entre os vários prêmios que acumula destaque para o da revista ‘Contigo!’ (em 1996 e 2008), o Troféu Imprensa, o Troféu Internet, o do jornal ‘Extra’, o ‘Qualidade Brasil’ e o do ‘Domingão do Faustão’ (todos também em 2008).

  • 01/01/2009
  • Administração

Veja mais

Deixe seu comentário

  • Gustavo Ubiratan

    coitado do Raul!